Estamos com as Filipinas

Amig@s,

Quando enviamos para vocês um email sobre o tufão Haiyan que devastou as Filipinas, nós ainda não tínhamos uma imagem muito clara dos impactos que ele tinha causado.

Agora nós temos. E a imagem é esta:

Em um mundo sensato, o tufão Haiyan seria o alerta que sacudiria nossos líderes mundiais (reunidos na Polônia para as negociações sobre o clima da ONU) a tomarem ações imediatas e decisivas. É deprimente, mas a mensagem ainda não está surtindo efeito. Por isso, os representantes das Filipinas na Polônia (e muitos outros aliados) inciaram uma greve de fome para destacar as necessidades urgentes que as vítimas do tufão Haiyan estão enfrentando. 

Estamos coletando milhares de mensagens de solidariedade de pessoas de todo o mundo para levá-las aos corredores das negociaçõas da ONU. Esta é a uma das maneiras de mostrar aos políticos intransigentes de que o mundo conta com ações concretas para apoiar as vítimas do Haiyan.

Nossa equipe em Varsóvia, juntamente com a delegação das Filipinas, entregará estas mensagens durante a semana, e eu espero que, quando fizerem isso, entreguem também uma mensagem sua. Clique aqui e envie uma mensagem de alerta em nome de toda a população das Filipinas.

Por causa da enorme destruição nos sistemas de comunicação e infraestrutura, os esforços de socorro humanitário nos lugares mais duramente atingidos estão apenas começando.  Além de enviar essa mensagem, você poderia fazer uma doação - se tiver condições - e apoiar nossos amigos nas Filipinas enquanto eles se recuperam desta tempestade sem precedentes?

Na próxima quinta-feira, penúltimo dia das negociações na ONU, haverá pessoas reunidas ao redor do planeta em vigílias pelas Filipinas e pela justiça climática, para enviar mais um aviso: estamos todos ao lado dos filipinos, mesmo que nossos líderes não estejam.

Yeb Saño, negociador-chefe da delegação filipina nas negociações da ONU, já está em greve de fome há 9 dias, num corajoso protesto contra a falta de ação e demora diante do desastre climático. E sua coragem é contagiante: temos notícias de diversas pessoas, em várias partes do mundo, que estão em greve de fome como forma de prestar solidariedade.

A extensão total da destruição causada pelo tufão Haiyan ainda não será inteiramente compreendida por algum tempo, mas a mensagem que ele deixou não poderia ser mais clara. Não parece muito correto encontrar algo positivo em momentos como esse, mas há ao menos um raio de esperança de que uma tragédia como essa possa romper o nevoeiro político e revelar as urgências da crise climática. 

Eu receio, porém, que isso só acontecerá se fizermos pressão - e, portanto, vamos fazê-la.

Muito obrigado,

-Bill McKibben, e toda a equipe da 350.org